Glossário Contábil: conheça os principais termos contábeis

glossário contabilidade
7 minutos para ler

Entender melhor o glossário de contabilidade é importante pelo fato de que alguns termos utilizados pela área podem gerar dúvidas aos clientes ou atrapalhar a comunicação clara e objetiva com profissional contábil. Isso porque utilizar palavras técnicas é preciso em certos casos, mas nem sempre são entendidas por quem não atua no ramo.

Pensando nisso, elaboramos este glossário com as principais definições utilizadas na contabilidade. Confira!

  • Acionista: proprietário de uma parte das ações e patrimônio líquido de uma companhia, que pode ser majoritário (tem, pelo menos, metade do capital acionário e mais uma ação, detendo o controle da empresa) ou minoritário (tem cotas menores, sem direito a voto).
  • Amortização: diminuição do valor do capital aplicado na obtenção de direitos que não tenham existência física. É eliminar a dívida de forma gradativa, por meio do pagamento.
  • Ativo: grupo de bens e direitos da empresa, constituindo a parte positiva do patrimônio. É onde a aplicação de recursos acontece, de forma que gerem lucros para o negócio.
  • Ativo circulante: bens líquidos adquiridos por uma companhia, como o dinheiro em caixa ou bens, que podem ser rapidamente convertidos em capital. 
  • Auditoria: atividade realizada pela contabilidade com o intuito de analisar as contas apresentadas nos demonstrativos e balanços financeiros com os demais registros da organização, para averiguar se os dados repassados são verdadeiros.
  • Balanço: é a demonstração da situação financeira/econômica da instituição no período em que o balanço se refere.
  • Balanço patrimonial: é a demonstração contábil feita com o intuito de evidenciar, de maneira qualitativa e quantitativa, em um certo período, a posição patrimonial e financeira da empresa, por meio da relação de ativos, passivos e patrimônio líquido.
  • Bens: tudo que pode ser categorizado economicamente e ser alienado ou trocado.
  • Capital social: o valor que constitui a participação dos sócios e acionistas da instituição.
  • Compliance: método usado para prevenir condutas ilegais dentro de uma empresa.
  • Demonstração do Resultado do Exercício: conhecido como DRE, é um documento que reúne todos os dados necessários para identificar se a companhia teve lucro ou prejuízo em uma data específica.
  • Depreciação: perda de valor que os ativos tangíveis passam no decorrer dos anos, por desgaste físico ou obsolescência.
  • Despesas: gastos realizados com a finalidade de gerar receitas futuras.
  • Escrituração contábil: técnica de registrar os fatos contáveis que influenciam no patrimônio da companhia, passíveis de valorização monetária.
  • Estoque: conjunto de produtos já obtidos que ainda não foram vendidos.
  • Faturamento: quantia financeira adquirida pela empresa pela venda de um produto ou serviço.
  • Fluxo de caixa: entradas e saídas de valores do caixa.
  • Fisco: órgão governamental responsável pela criação de regras, cobrança dos tributos e pelo recebimento das obrigações acessórias.
  • Ganhos: aumentos econômicos indiferentes da natureza de faturamento.
  • Gestão contábil: é o uso das informações propiciadas pela contabilidade da companhia, com o objetivo de tornar a tomada de decisão mais estratégica e correta.
  • Holding: empresa que tem como atividade principal a participação acionária em uma ou mais instituições (compra parte de outra). É a investidora.
  • Impostos: montante sobre ganhos e operações pagas ao governo para a manutenção dos bens e atividades públicas.
  • Inadimplência: falta de cumprimento das condições definidas em um contrato. Usado para indicar a falta de pagamento no prazo estipulado. Termo apontado para situações em quem a pessoa deve, mas não honra com sua responsabilidade.
  • Investimentos: recursos, normalmente econômicos, aplicados em sociedades e em direitos de qualquer natureza.
  • Isenção fiscal: é a ação de alguns governos de deixar de cobrar certos impostos de determinados agentes, tanto pessoas físicas como jurídicas.
  • Juros: quantias cobradas sobre compras parceladas e empréstimos cedidos por instituições financeiras e comércios.
  • Lançamento: ato administrativo que busca liquidar a obrigação tributária, por meio da detecção do fato gerador ocorrido, identificação do sujeito passivo, apuração da base de cálculo e aplicação da alíquota.
  • Lucro: quando as receitas são maiores que as despesas da organização.
  • Margem de contribuição: é a parte do faturamento que sobra depois da retirada do montante relativo aos gastos variáveis, que será usado para pagar despesas fixas.
  • Nota fiscal: documento emitido pelo prestador de serviço ao consumidor, para pagamento ou comprovação da transação.
  • Nota promissória: título de dívida onde a pessoa se compromete a quitar um certo valor em dinheiro em um prazo estipulado.
  • Obrigações: dívidas e obrigações com terceiros de qualquer natureza.
  • Obrigações acessórias: informações exigidas pelo Fisco às companhias. Tem o objetivo de cruzar dados para identificar fraude ou sonegação.
  • Passivo circulante: obrigações que deverão ser pagas ao longo do exercício seguinte, por exemplo, empréstimos, contas, títulos, salários, dentre outros.
  • Patrimônio: bem que pertencem à instituição, com a soma de seus valores.
  • Planejamento tributário: analise minuciosa de quais estratégias a empresa precisa tomar para pagar o mínimo possível de impostos em conformidade com a lei.
  • Princípios contábeis: normas usadas como premissas básicas sobre as ações praticadas pela contabilidade.
  • Receita bruta: valores recebidos pela venda de produtos ou serviços prestados sem a ocorrência de descontos ou abatimentos.
  • Regime tributário: maneira como a empresa será tributada ao longo do ano-calendário. Entre as opções existentes está o Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real.
  • Rentabilidade: ganha ou perda de capital ocorrida em um investimento, influenciados pela variação do preço de título financeiro ou pelo recebimento de uma renda originária da posse do bem, por exemplo, aluguel.
  • Substituição tributária: é o regime no qual a responsabilidade pelo recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) é atribuída somente ao responsável pela primeira etapa da cadeia produtiva (geralmente a indústria).
  • Superávit: conceito utilizado para apontar o saldo positivo de transações financeiras de caixa e bancos.
  • Taxa: quantia fixa cobrada por instituições ou pelo governo para um fim estabelecido, como as taxas de coleta de lixo.
  • Tempestividade: ato de entregar as demonstrações contábeis dentro do prazo adequado para a decisão.
  • Tributos: valores financeiros cobrados pelo estado, que abrange os impostos, taxas e contribuições.
  • Unidade geradora de caixa: grupo de ativos identificados que propicia entradas e saídas que, na maioria dos casos, são independentes de entradas e caixas de outros grupos de ativos.
  • Valor agregado: montante adicional que adquire os bens e serviços a serem transformados ao longo do processo produtivo.
  • Valor contábil: valor de um ativo ou passivo identificado no balanço patrimonial.

Por meio do glossário de contabilidade é possível entender um pouco melhor sobre os conceitos mais usados dentro do segmento contábil. Assim, você não se sente tão deslocado ao conversar com o seu contador, tendo um diálogo muito mais produtivo e decisivo para a tomada das melhores decisões dentro do negócio.

Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Então, entre em contato com a gente e veja como podemos ajudar!

CTA ContatoPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe um comentário