esocial

E-social: entenda 8 mitos e verdades

O eSocial é uma inovação do Governo Federal que tem gerado muita preocupação para os empreendedores brasileiros. Como as informações passarão de forma informatizada e automatizada, há um grande impacto na rotina de vários setores da empresa, incluindo o contábil, de Recursos Humanos, entre outros.

Durante a leitura deste conteúdo, trazemos algumas afirmações, dúvidas e fatos sobre a implementação do eSocial nas empresas, informamos se ela se tata de verdade ou mito e explicamos como funciona o eSocial no campo prático. Confira!

Os 8 principais mitos e verdades sobre o eSocial

As principais dúvidas estão ligadas às vantagens e desvantagens que são ou não garantidas às empresas, como também o impacto em determinados setores no seu dia a dia da organização. Veja as principais 8 delas abaixo.

1. Apoia a tomada de decisões

Verdade. A melhoria na tomada de decisões é uma das principais vantagens do eSocial e decorre da otimização da gestão, pois será preciso utilizar uma plataforma de gestão para utilizar o sistema do Governo, ela integrará as informações de diferentes áreas para formar um único panorama do negócio

Como os dados serão mais centralizados, os gestores terão acesso facilitado aos pontos mais relevantes de questões previdenciárias ou trabalhistas. Basta que ele acesse um painel de controle para estudar a empresa de forma ampla e geral.

A tecnologia possibilita a realização de uma análise melhor fundamentada e direcionada sobre os dados disponíveis, permitindo decisões mais assertivas em um menor período de tempo.

2. Melhora o relacionamento da empresa com o Governo

Outra verdade. O cumprimento de exigências trabalhistas e previdenciárias é estimulado, fazendo com que ocorram menos problemas com os órgãos fiscalizadores. Quando as obrigações são realizadas de forma manual, é comum que ocorram erros humanos no preenchimento de informações, em cálculos, na interpretação da legislação, bem como atrasos por esquecimento.

Com o eSocial, há um sistema eletrônico que cuida de todos os documentos, o que minimiza ou elimina a ocorrência desses problemas e, consequentemente, evita conflitos fiscais e incidência de multas. Tudo isso torna o relacionamento com o Governo mais transparente, confiável e otimizado.

3. Aumenta a burocracia para a empresa

Mito. A novidade do Governo simplifica, no mínimo, 15 obrigações acessórias, incluindo o DIRF, GFIP, RAIS, DCTF, GPS, folha de pagamento, PPP, CAT, entre diversas outras. Antes era necessário preencher inúmeras guias individuais e formulários, mas no eSocial esses dados serão alocados em eventos mais simples, o que diminui o tempo gasto em atividades burocráticas.

4. Eleva o risco de fraudes

Outro mito. Há dois fatores que impulsionavam o cometimento de fraudes no cumprimento das obrigações. O primeiro deles é o fato de muitos empreendedores cometerem erros no envio das declarações pela grande numerosidade, complexidade dos documentos e falta de apoio técnico sobre o tema.

O segundo é o fato de o Fisco não conseguir exercer controle e supervisão de tantas informações de forma manual. Com isso, muitas empresas não cumpriam as obrigações de fornam intencional, mas poucas eram penalizadas.

Entretanto, o eSocial tornará a fiscalização eletrônica, fazendo com que todas as empresas tenham o mesmo tratamento, beneficiando as organizações que optam por trabalhar dentro da lei e diminuindo a concorrência desleal.

5. Melhora a imagem da empresa

Verdade. Como a ferramenta do eSocial proporcionará um controle mais amplo e rígido sobre questões trabalhistas e previdenciárias do negócio, será mais fácil confirmar a credibilidade da empresa quanto à sua regularização.

Os parceiros, clientes, fornecedores, investidores e outros interessados terão uma visão transparente e idônea da empresa, o que traz mais segurança durante as negociações com essas pessoas, fideliza clientes etc.

6. Aumenta os custos da empresa

Mito. Diversas empresas acreditam que a necessidade de ter um sistema eletrônico para fazer o gerenciamento das informações é um grande custo. Entretanto, isso deve ser visto como um investimento com retorno em médio e longo prazo, já que a empresa conseguirá diversas economias em outras áreas. Alguns exemplos são:

  • diminuição de autuações fiscais — como o cumprimento da legislação será facilitado, minimiza-se a incidência de multas e outras sanções fiscais;
  • minimização do uso do papel — as guias físicas serão substituídas por envio de eventos eletrônicos do eSocial;
  • redução de espaço — não será necessário ter prateleiras e caixas para armazenar os documentos, bastando ter um servidor físico ou em nuvem;
  • otimização de processos e procedimentos — muitas operações burocráticas serão automatizadas, diminuindo a quantidade de pessoal e tempo necessário para executá-las.

7. Ajuda na gestão organizacional

Verdade. O sistema informatizado conta com dados mais reais, seguros e consistentes, proporcionando mais transparência e segurança jurídica para as pessoas jurídicas. Vários documentos serão substituídos por dados na internet, tornando o manuseio mais simples pelo RH, departamento pessoal, setor contábil da empresa, entre outras áreas.

Os fato de os dados serem disponibilizados eletronicamente possibilitará que as informações sejam acessadas em qualquer lugar e hora, como também que sejam cruzadas com outras informações precedentes, permitindo análise mais acurada das mudanças e evolução do negócio.

Isso pode ser utilizado inteligentemente pela empresa para aperfeiçoar a gestão organizacional e a avaliação da saúde financeira. Por exemplo, será possível criar métricas para acompanhar o desenvolvimento das contas e verificar se o gasto com pessoal foram reduzidos ou aumentados nos últimos anos.

8. O eSocial afeta aposentadorias

Essa é uma dúvida bastante comum tanto entre os trabalhadores como empregadores, pois envolve uma questão mais complexa e delicada. Se é mito ou verdade, a resposta dependerá do funcionamento de cada empresa.

Não há impedimento legal para que um aposentado por tempo de contribuição ou idade continue exercendo atividade remunerada, o problema se encontra quando o colaborador que está aposentado por invalidez trabalhe. Esse indivíduo não deveria trabalhar, mas se ele for capaz de exercer seu cargo, não faz jus ao benefício da aposentadoria por invalidez.

Antes do eSocial era difícil para uma empresa identificar que um colaborar estava aposentado. Com o advento do novo sistema, a organização é obrigada a reportar todos os novos colaboradores pelo evento S-2200 — Cadastramento Inicial do Vínculo e Ingresso ou Admissão do Trabalhador.

Certamente o trabalhador aposentado será identificado, correndo riscos de perder seu benefício ou até mesmo de ser obrigado a fazer a devolução dos valores pagos.

Ainda há muitas dúvidas sobre o eSocial, mas é importante que os empreendedores entendam que essa é uma obrigação inevitável, sendo fundamental que tenham ao seu lado uma empresa de contabilidade atualizada para auxiliá-los na adaptação a essa nova ordem.

Contate um de nossos profissionais agora mesmo para saber ainda mais sobre o eSocial e garantir que as obrigações sejam cumpridas!

Sem Comentários